Os direitos humanos

«Somos milhões os que não estão dispostos a dar um passo atrás» com os direitos humanos, afirma presidente Fernández

O presidente Alberto Fernández disse hoje que há milhões de argentinos que não estão «dispostos a dar um passo atrás» em matéria de direitos humanos e afirmou que «o negacionismo nos faz rediscutir coisas que não deveriam ser objeto de discussão», referindo-se às violações aos direitos humanos durante a última ditadura militar (1976-83).

Isso foi afirmado no lançamento do III Fórum Mundial de Direitos Humanos que acontecerá na cidade de Buenos Aires em maio de 2023, acompanhado pelo Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel; a diretora da CIPDH-Unesco, Fernanda Gil Lozano e o secretário de Direitos Humanos, Horacio Pietragalla.

Em seu discurso, Fernández afirmou que seu governo vai «lutar contra as políticas de negação» e alertou que «a direita está se rearmando», lembrando que, para o governo de Mauricio Macri, «os direitos humanos eram um roubo», enquanto para a atual administração do partido Frente de Todos, pelo contrário, representam «uma bandeira que levantaremos para fazer uma sociedade melhor».

“As organizações sociais trabalharam para que a Argentina não explodisse, mas isso não aconteceu porque estavam do lado dos mais necessitados. Não sabem tudo o que fizeram pelos direitos humanos”, disse o chefe de Estado. 

E acrescentou: «Não vamos ceder. Permaneçamos firmes em nossas convicções, que nada nos confunda, que nossas diferenças não nos façam dizer coisas injustas e devemos estar muito unidos».(telam.com.ar)

Visitas-OnLine -8366

Deja una respuesta

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.